terça-feira, 1 de dezembro de 2015

100% de chance... É menino!!!



Sim!!!
Ontem fiz a transnucal do nosso bebê!
Não foi identificado nenhum hematoma, mas sim um lago venoso que pode justificar o sangramento. O lago venoso também precisa ser acompanhado para não evoluir, mas à princípio a placenta está bem coladinha.
O bebê está super bem, crescendo muuuuito ( mais de 1,5 cm por semana!). Hoje estamos com 12 semanas e 2 dias, mais ou menos. Cálculo um pouco diferente da minha última menstruação, mas eu ainda não estava muito regulada após a curetagem.
Dados do nosso bebê no exame de hoje:

Comprimento crânio-caudal: 60mm
Translucência nucal: 1,6 mm ( normal, graças à Deus!)
Osso nasal: presente (outro indicativo de normalidade)

E, para a nossa alegria, o médico (Dr. Eduardo Becker, um querido!) perguntou: "qual é o sexo do filho que vocês já tem?"
E eu: "uma menina"
E ele: "guardaram as coisinhas dela?"
E eu: "por quê? É outra guria?"
E ele: "não, porque vocês vão ter que dar tudo! É um gurizão com 100% de certeza!!!"

Óin!!! Que amor!

Abaixo segue uma das fotinhos (impressionante a nitidez, muita diferença de 5 anos atrás) do nosso gurizão!


Beijokas!
Mila

Susto, hematoma e repouso absoluto


Na semana passada, levei uma baita susto!

Trabalhei somente pela manhã na terça e foi uma manhã corrida no trabalho. À tarde, descansei até as 16:30 e depois minha filha e eu fomos no supermercado. Nada que uma grávida normal não faça, não é mesmo?
Pois é... Mas as coisas comigo não são tão simples...
Lá pelas 18:30 senti uma secreção descer, não estranhei porque como uso utrogestan via vagina esses "escapes" são comuns. Mas fui ao banheiro me certificar e me deparei com sangue vivo!!! Bem vermelho, mesmo! Imaginem o meu pavor!
Bom, mas resumindo, perdi sangue me uma quantidade suficiente para encher dois absorventes diários em cerca de duas horas, sangue vivo. Corri para a emergência obstétrica do Hospital Moinhos (maternidade daqui de Porto Alegre) e, chegando lá vi que o bebê estava bem, crescendo, ativo e com o coraçãozinho batendo. Porém, foi identificado um hematoma coriônico de cerca de 3,2 cm!
Resultado: a médica pediu para seguir com o utrogestan e fazer repouso absoluto (ela disse: cama-sofá, viu?) até o próximo exame que seria feito em uma semana...
Afe!
Agora estou mais tranquila, mas confesso que quando vi tanto sangue não conseguia ser tão positiva assim...
Mas como o bebê está bem, agora é fazer a minha parte, né?
Beijinhos!
Mila

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

11 semanas do nosso novo anjinho!



Olá, queridas e queridos! 

Essas são as "fotinhos" do nosso baby com 11 semanas! 
Esses dias recebi um comentário de postagem perguntando sobre o bebê e resolvi postar as últimas notícias. Estamos bem, crescendo bastante e, a cada dia, a gestação vai ficando um pouco mais tranquila. Na última consulta com a minha obstetra eu falei que às vezes me angustio por estar perdendo os sintomas da gestação (tontura, náusea, cansaço, fisgadinhas na barriga), mas ela explicou que é super normal, que o corpo vai se acostumando com os hormônios e que a chegada do 2º trimestre vai sendo mais tranquila mesmo. 

Quando eu estava grávida da Gabi, sentia muita cólica e contração, do início ao fim da gestação. Então, estranho um pouco esse marasmo... He he he... Por enquanto eu não engordei, já que com os enjoos do início eu ficava inapetente e há pouco é que o meu apetite voltou. Mas acho que não tem problema, sou magrinha e tenho dificuldades para engordar normalmente e na gestação da Gabi eu emagreci 1,5 kg no primeiro trimestre, então estou no lucro! ;) 

Também tenho tido muuuuuita vontade de comer frutas e coisinhas ácidas e não tenho tido desejos, só algumas "aversões". Não posso, nem pensar que existe café no mundo (até o cheiro me dá náusea) e peixe... he he he... Esquisito, não? 

Ainda não contamos à Gabi que estou grávida! Mas é claro que ela desconfia até porque a barriguinha não engana, mas temos tratado do assunto como "dúvida". Ou seja, queremos um bebê na família, desconfiamos todos de que já haja um na barriga da mamãe e estamos esperando um exame para comprovar. O exame é, na verdade, a transnucência que faremos daqui uma semana. Após essa ecografia, se estiver tudo certo com o bebê, contamos que ela será mana (como ela mesma fala...). 

 Acho que é isso... 
Grande beijo, Mila.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Indo para a semana 10 e... será que vem mais uma menininha?

Oi, pessoal! Temos passado muito bem. Com enjoos (ok, nem tudo é perfeito), mas com pouquíssimas cólicas (mais como as famosas "fisgadinhas") e nem sinal de sangramento. 
 Mesmo assim, na ultima sexta eu dei uma pirada e passei o dia todo sofrendo, achando que tinha perdido o bebê... Totalmente sem motivo, comecei a achar que o enjoo tinha sumido, o peito deixado de doer e a barriga murchado. Então, resolvi ir a um pronto atendimento obstétrico e foi ótimo, porque desencanei e, finalmente, fiz a primeira eco! Sim!!! 
Eu adiei ao máximo a primeira eco, com receio de criar falsas expectativas... O nosso bebezinho estava fazendo aniver de 9 semanas no dia da eco! Estava super bem, faceirinho e com o coraçãozinho à mil (175bm). 
Depois da pequena crise ( He He He), fiquei mais tranquila e até já tenho contado para algumas pessoas que estou grávida. Agendei a primeira eco oficial para a próxima semana, até para ir acompanhando o desenvolvimento do bebê. E daqui umas 3 semanas já tenho a transnucal. 
Bom, mas sobre o restante do título do post, nessa noite sonhei pela primeira vez com o bebê. Ela estava mamando, bem esfomeada... Ela, sim, no sonho era mais uma menininha! Será que o meu mundo vai se tornar ainda mais cor-de-rosa? He he he... 
O papai vai pirar com tanta mulher em volta! 
Bjs! 
Mila.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

De volta às tentativas e... Mais um positivo para a coleção!

Pois é... O título do post não deixa nem suspense... Após a consulta com a geneticista, a indicação médica dela é que voltássemos às tentativas o quanto antes devido aos meus 35 aninhos nas paletas... He He He...
Bom, voltando aos treinos, poucas semanas depois... Mais um positivo!
Não deu tempo nem de ficar ansiosa, maaaaas... Nem tudo são flores...


Ainda não consegui curtir o positivão, já que o medo de um novo aborto é constante.
Mas ok, vai passar meninas, logo, logo, vou estar comemorando bem faceira!
Beijos férteis à todas!
Mila.

sábado, 17 de outubro de 2015

Consulta com geneticista


A tão aguardada consulta com a geneticista aconteceu após mais de três meses de espera. Minha menstruação já estava normalizada e o meu ciclo regulado e já havia se passado quase seis meses após a curetagem.
Eu esperava que ela me desse um monte de exames, à mim e ao Ricardo e dissesse para não tentarmos ter bebê até termos certeza de que era seguro.
Esperava...
Mas não aconteceu assim...
Após 1 hora e meia de consulta e uma investigação minuciosa de todo o meu histórico clínico e da investigação de toda a minha árvore genealógica e do estado clínico de toda a minha família e a do Rick, a médica disse que ela concluiu que a trissomia e, consequentemente, a perda do nosso terceiro bebê (também perdemos um antes da Gabi, mas nunca investigamos o motivo) não passou de um acidente genético.
Nada de exames...
Nada de análise genéticas...
Nada de recomendações médicas ou tratamentos...
A médica falou de acidente genético como possível causa, não indicou nenhum tipo de investigação. Pelo contrário, como tenho 35 anos, sua indicação médica foi a de que já que se passaram 6 meses desde a curetagem, voltássemos a tentar o quanto antes. Trouxe que a idade, sim, é um fator de aumento de chance para este tipo de acidente genético e que a partir da minha idade as chances de novo episódio são consideradas "médias" na medicina ( apesar de ainda serem menos de 1%).
Saí da consulta insegura...
Mas, conversando com o Ricardo, ele me animou e decidimos começar a tentar já naquela noite...
E que venha o próximo positivo...
Bjs férteis!
Mila

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Análise do bebê e descoberta de trissomia


Olá, meninas.
Hoje vou falar sobre o resultado da análise do material que foi coletado na minha curetagem. O resultado foi que o meu material não apresentou alterações (isso é bom), mas o bebê apresentou uma trissomia no cromossoma 22.
Para entender o que isto significa, vale lembrar que todos os seres humanos não portadores de síndromes genéticas têm 23 pares de cromossomos, totalizando 46 cromossomos. Pois o meu bebê tinha 47 cromossomos, pois no cromossomos número 22, ao invés de uma dupla, havia um trio. À isso dá-se o nome de trissomia.
Algumas trissomias, como a síndrome de Down, podem ser compatíveis com a vida. Mas a do 22, quando completa (existe uma tal síndrome do olho do gato que seria uma trissomia incompleta do 22), é incompatível com a vida...
Que triste ver essa notícia... Mesmo sendo um alívio e explicando o que aconteceu, dá uma tristeza reviver tudo...
Também descobrimos que o nosso bebê era um menininho... Como eu senti desde o início...
Espero, com o meu relato, ajudar outras mulheres que estão passando por essa triste experiência. Por mais que a curetagem seja um procedimento cirúrgico, pelo menos ajudou a entendermos o que houve.
A indicação do médico geneticista foi a de realizarmos uma investigação genética para entendermos a chance de um novo episódio.
Já tive essa consulta e em outro post conto como foi.
Bjs!
Mila.