domingo, 10 de abril de 2011

A volta ao trabalho...


Antes da Gabí nascer, eu seguia uma rotina atribulada trabalhando fora (em uma escola, sou Orientadora Educacional), cuidando da casa, do marido... Quando estava grávida precisei fazer vários períodos de repouso, o que significavam afastamentos temporários do trabalho. Mas, apesar destes já serem ensaios para quando eu entrasse de licença-maternidade, não chegava a me afastar completamente da rotina do trabalho, já que eu continuava ligando e acompanhando o que estava acontecendo por lá.
Como a Gabí nasceu prematura, não consegui me preparar para meu afastamento. Resultado: trabalhei até uma quinta feira e a Gabí nasceu no domingo. Confesso que nas primeiras semanas sentia muita falta do trabalho, ficava curiosa para saber o que estava acontecendo e ansiosa por não conseguir "fechar o ano" com os alunos e as famílias que eu acompanho. Tinha vontade de apertar na tecla "pause" para parar um pouquinho de ser mãe e dar uma "trabalhadinha"... rsrsrs 
Com o passar do tempo, fui sentindo um vínculo cada vez maior com a minha bebê e comecei a gostar da nossa rotininha em casa. Consegui ir me desligando aos poucos do trabalho e agora já me sinto mais à vontade no papel de mãe em tempo integral.
Porém, quando começo a curtir a ideia de ficar em casa, eis que surge o fantasma da volta! A Gabí está com 3 meses e meio e, felizmente, consegui emendar minha licença de 4 meses com mais 1 mês de férias que estavam pendentes. Isto significa que daqui a aproximadamente 1 mês e meio eu irei retornar a labuta. Esta ideia tem me angustiado. Pode parecer loucura para uma pessoa que gostava tanto de trabalhar, mas agora eu estou acostumada a ficar em casa e a curtir minha bebê 24hs por dia, ora bolas!
Bom, mas temos tomado algumas providências práticas para essa inevitável separação (sniffff!). A primeira foi uma visita ao meu trabalho para eu acertar o meu horário (a minha carga horária é sempre a mesma, mas a distribuição das horas na semana varia conforme o número de alunos/turma por turno). Acertados os detalhes eu e o Ricardo conversamos com a minha mãe e com a mãe do Rick. Isto porque decidimos que a bebê Gabí ficará em casa, pelo menos até o final do inverno, que costuma ser bastante rigoroso aqui no sul. As vovós nos ajudarão nessa parte...
Depois, comecei a fazer uns "ensaios". No sábado eu e o Rick fomos ao cinema (após mais de 4 meses sem sairmos sozinhos!) e a vovó Rê ficou com a bebê. Confesso que em alguns momentos eu não conseguia prestar atenção no filme e tinha flashes da Gabí chorando desesperadamente e ninguém conseguindo acalmar! Quando o filme terminou, liguei para a minha mãe que disse que a bebê estava ótima!
Na segunda dei uma passadinha no colégio para dar uns "ois" e depois fui ao supermercado e deixei a bebê com a vovó Rê, mais uma vez. Dessa vez, foi mais tranquilo para mim. A Gabí dorme a tarde toda, mama e brinca e a vovó já sabe dessa rotina.
Agora falta adaptar a vovó Nina, que estava viajando, à rotina da nossa bebezinha.
Acho que esses momentos de separação ajudarão para quando eu tiver que deixar a bebê em casa para trabalhar, não acham?
Beijinhos... 

Um comentário:

  1. Eu tb já estou sofrendo com a idéia de voltar a trabalhar, embora eu vá demorar mais do que vc pra voltar, mas tem um porém o Gu vai pra creche, então já preciso me organizar, principalmente pq ele chora sempre qdo não estou por perto...

    ResponderExcluir