terça-feira, 27 de outubro de 2015

De volta às tentativas e... Mais um positivo para a coleção!

Pois é... O título do post não deixa nem suspense... Após a consulta com a geneticista, a indicação médica dela é que voltássemos às tentativas o quanto antes devido aos meus 35 aninhos nas paletas... He He He...
Bom, voltando aos treinos, poucas semanas depois... Mais um positivo!
Não deu tempo nem de ficar ansiosa, maaaaas... Nem tudo são flores...


Ainda não consegui curtir o positivão, já que o medo de um novo aborto é constante.
Mas ok, vai passar meninas, logo, logo, vou estar comemorando bem faceira!
Beijos férteis à todas!
Mila.

sábado, 17 de outubro de 2015

Consulta com geneticista


A tão aguardada consulta com a geneticista aconteceu após mais de três meses de espera. Minha menstruação já estava normalizada e o meu ciclo regulado e já havia se passado quase seis meses após a curetagem.
Eu esperava que ela me desse um monte de exames, à mim e ao Ricardo e dissesse para não tentarmos ter bebê até termos certeza de que era seguro.
Esperava...
Mas não aconteceu assim...
Após 1 hora e meia de consulta e uma investigação minuciosa de todo o meu histórico clínico e da investigação de toda a minha árvore genealógica e do estado clínico de toda a minha família e a do Rick, a médica disse que ela concluiu que a trissomia e, consequentemente, a perda do nosso terceiro bebê (também perdemos um antes da Gabi, mas nunca investigamos o motivo) não passou de um acidente genético.
Nada de exames...
Nada de análise genéticas...
Nada de recomendações médicas ou tratamentos...
A médica falou de acidente genético como possível causa, não indicou nenhum tipo de investigação. Pelo contrário, como tenho 35 anos, sua indicação médica foi a de que já que se passaram 6 meses desde a curetagem, voltássemos a tentar o quanto antes. Trouxe que a idade, sim, é um fator de aumento de chance para este tipo de acidente genético e que a partir da minha idade as chances de novo episódio são consideradas "médias" na medicina ( apesar de ainda serem menos de 1%).
Saí da consulta insegura...
Mas, conversando com o Ricardo, ele me animou e decidimos começar a tentar já naquela noite...
E que venha o próximo positivo...
Bjs férteis!
Mila

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Análise do bebê e descoberta de trissomia


Olá, meninas.
Hoje vou falar sobre o resultado da análise do material que foi coletado na minha curetagem. O resultado foi que o meu material não apresentou alterações (isso é bom), mas o bebê apresentou uma trissomia no cromossoma 22.
Para entender o que isto significa, vale lembrar que todos os seres humanos não portadores de síndromes genéticas têm 23 pares de cromossomos, totalizando 46 cromossomos. Pois o meu bebê tinha 47 cromossomos, pois no cromossomos número 22, ao invés de uma dupla, havia um trio. À isso dá-se o nome de trissomia.
Algumas trissomias, como a síndrome de Down, podem ser compatíveis com a vida. Mas a do 22, quando completa (existe uma tal síndrome do olho do gato que seria uma trissomia incompleta do 22), é incompatível com a vida...
Que triste ver essa notícia... Mesmo sendo um alívio e explicando o que aconteceu, dá uma tristeza reviver tudo...
Também descobrimos que o nosso bebê era um menininho... Como eu senti desde o início...
Espero, com o meu relato, ajudar outras mulheres que estão passando por essa triste experiência. Por mais que a curetagem seja um procedimento cirúrgico, pelo menos ajudou a entendermos o que houve.
A indicação do médico geneticista foi a de realizarmos uma investigação genética para entendermos a chance de um novo episódio.
Já tive essa consulta e em outro post conto como foi.
Bjs!
Mila.